domingo, 28 de agosto de 2016

Paço dos Hentiques - Reabertura em 04SET16






No próximo dia 04SET16, Domingo, vai ser reaberto ao público o Paço dos Henriques, em Alcáçovas.
Depois de muitos anos ao abandono, este edifício histórico foi recuperado e esperamos que este investimento venha a atrair cada vez mais visitantes á nossa vila.
A partir das 18H30 haverá festa na Praça da República e todos serão bem vindos...

sábado, 27 de agosto de 2016

Da Lagoa de S. André até á Praia de Melides









Entre a Lagoa de S. André e a praia de Melides são cerca de 4 kms de areal.
Certo dia de 2011, juntamente com um grupo de amigos nossos, percorremos este percurso e fomos limpando todo o lixo que encontrámos e que nos foi possível remover do areal.
No final, a recompensa foi um bom mergulho na Praia de Melides...
 
A Praia de Melides fica situada junto à lagoa de Melides, na língua de areia que separa a água doce das ondas do oceano. Os bons acessos, o extenso areal, a existência de restaurantes e um bem sucedido mercado de aluguer de quartos particulares tornaram-na numa das mais procuradas praias da região. Os estrangeiros enamoraram-se da vila (situada a cerca de 4 quilómetros da praia) e das matas dos arredores sendo presença constante nos restaurantes da praia.
A praia é vigiada tendo acesso por estrada até junto à praia, com estacionamento acessível para carros e autocarros, havendo alguns equipamentos de apoio à actividade balnear, além de um parque de campismo a cerca de 1 km.
Praia onde terá naufragado uma noite Fernão Mendes Pinto, atacado por corsários franceses.

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Saberes que o tempo vai apagando...

































Para quem não sabe o que isto é, estes são trabalhos são exclusivamente manuais. Na arte de fazer estes bordados e rendas não entra qualquer mecanismo, apenas o labor manual, de quem sabe agarrar numa agulha e numa linha e deixar correr a habilidade. Falamos de senhoras que na vila de Alcáçovas ocupam grande parte do seu tempo fazendo maravilhosos trabalhos. Falam-nos da mágoa que tem por não terem ninguém a quem ensinar a sua arte. O saber, esse, infelizmente irá morrer com estas senhoras.

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Oliveiras milenares








Em Viana do Alentejo , temos nas nossas terras oliveiras com 1000 e mais anos ...
Por favor, não as destruam pois como devem saber, as culturas intensivas de oliveiras de crescimento rápido estão cheias de produtos químicos que matam pessoas e animais .
Os herbicidas não matam só as plantas mas também células vivas de animais, porque a clorofila tem ADN como as mitocôndrias ( estas presentes em todos os animais ) . Não esquecer que o Homem é um animal como os demais por isso tem mitocôndrias para poder respirar oxigénio . Os Herbicidas alteram o material genético de células, logo são um bom produto para provocar cancro.
Os Inseticidas, como o nome diz, são um veneno para matar insectos e estes actuam no sistema nervoso provocando a morte as células nervosas que são os neurónios.
Só há um tipo de neurónios. Logo, se matam o insecto matam também as células nervosas do nosso cérebro.
Assim, temos tantas pessoas com doenças mentais e muito cancro no aparelho digestivo.
O futuro está nas vossas mãos.
Texto da autoria do nosso compadre e amigo Cappas Insectozoo.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Monsaraz (by Carlos Dias)











Sou um dos administradores do grupo do Facebook " MONSARAZ " e, além de mim, fazem parte como administradores deste grupo António Caeiro e Ana Maria Saraiva.
Nasci em Cascais em 1966.
Sou filho de pais naturais de Reguengos de Monsaraz.
Amante do Alentejo no geral, mas MONSARAZ é a minha paixão...
                                                             - Carlos Dias.

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Beja, uma beleza suspensa no tempo...











Beja: uma beleza suspensa no tempo!

Imagine vastas searas de trigo douradas pelo sol e olivais onde pode passear ao longo de quilómetros rodeado da mais pura beleza natural. Contemple falésias dramáticas na ponta ocidental da Europa, onde praias imaculadas são banhadas pelo Atlântico. Agora, trace cidades e vilas que espelham a longa ocupação árabe, com as suas ruelas estreitas, pitorescas casas caiadas e azulejos decorativos. Ao cair da noite, uma calmaria suspira pelas planícies de Beja e convida-o a descansar, já que o dia seguinte espera por si em todo o esplendor. O distrito de Beja, na região do Alentejo, é tudo isto e muito mais: e aguarda a sua visita!

Uma costa dourada abençoada pelo sol

Influenciado pelos climas mediterrânico e do Norte de África, o distrito de Beja é geralmente quente e seco, e oferece o clima perfeito para aqueles que anseiam umas férias relaxantes na praia. Os viajantes mais jovens chegam de todo o país com as suas pranchas de surf, prontos para mergulhar nas fantásticas ondas do oceano. Os bares de praia oferecem música chill-out, definindo o ambiente para aqueles que gostam de descansar e tomar uma bebida enquanto contemplam o pôr-do-sol. Durante os meses de Verão realizam-se festivais de música que atraem multidões de todas as faixas etárias e de toda a Europa.

A encantadora história da cidade de Beja

A capital de distrito detém o mesmo nome – Beja. Remontando ao tempo dos Romanos, o imperador Júlio César erigiu a cidade a capital regional, sendo as ruínas de Pisões um testemunho da riqueza deste império. Aquando da invasão dos Mouros no século VIII, foram construídas ruas calcetadas e a magnífica arquitectura que permaneceu até aos dias de hoje. O castelo de Beja mantém-se intacto desde a era românica e mantém viva a memória das lutas nacionais para conquistar esta zona do país.

Passeie pelas ruas de Beja e admire as casas caiadas com molduras coloridas em volta das janelas e visite os muitos museus que exibem relíquias dos vários colonizadores da região.

Castelo de Beja
Este castelo apresenta características de uma fortificação portuguesa, embora as suas origens remontem à era romana. Foi modificado e ampliado ao longo dos séculos e utilizado pelos Árabes essencialmente como posto defensivo contra os Portugueses que acabariam por reconquistar Beja no século XIII. A torre de menagem – um dos elementos mais notórios do castelo – foi mandada erguer pelo Rei D. Dinis em 1310 e é considerada um dos mais importantes exemplos da arquitectura medieval do país.

Fonte: http://www.portugal-live.net/